Presidente de comissão busca acordo para depoimento de Dilma

terça-feira, 6 de maio de 2008 17:25 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, Marconi Perilo (PSDB-GO), vai conversar com os líderes dos partidos para definir os procedimentos do depoimento da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, na quarta-feira.

Perilo acredita que a reunião será tranquila e disse que vai buscar um entendimento com os líderes para que tudo corra da melhor maneira possível durante o depoimento de Dilma. O senador garantiu, porém, que não vai limitar o assunto, mesmo que o tema oficial do depoimento seja o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

"Os senadores são livres, são independentes, ninguém vai cercear nenhum senador que eventualmente queira saber da ministra outras informações que não sejam do PAC", disse Perilo.

A oposição pretende aproveitar o depoimento para questionar a ministra sobre o suposto dossiê com gastos sigilosos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O líder do PSB, Renato Casagrande (ES), disse que a ministra está preparada para falar sobre tudo, mas acredita que se as respostas dela não forem consistentes podem reacender o clima de animosidade no Senado. "Se ela tiver tranquilidade e coerência no seu discurso, com certeza o efeito será benéfico ao governo. Caso contrário, será maléfico", disse Casagrande.

O senador avalia que oposição e governo vão adotar a mesma estratégia no depoimento.

"Quanto mais parlamentares perguntando, melhor. Certamente o governo perguntando sobre o PAC e a oposição sobre o dossiê. Por isso a ministra vai ter que ter resistência física e calma para poder responder a todas as perguntas."

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou que a partir do depoimento de Dilma Rousseff o clima político no Congresso tende a melhorar.

"Acho que a vinda dela vai contribuir para que possamos ter um clima mais tranquilo tanto na CPI quanto no Senado."