Economia dos EUA e bancos ainda vão sofrer com crise de crédito

terça-feira, 6 de novembro de 2007 09:18 BRST
 

Por Mike Peacock

LONDRES (Reuters) - O presidente do banco central britânico e o ex-chairman do Federal Reserve afirmaram nesta terça-feira que a economia dos Estados Unidos ainda vai sofrer por conta da crise nos mercados de crédito e alertaram que os bancos podem levar meses para revelar todas as suas perdas ligadas ao segmento de financiamento imobiliário de alto risco.

Para Alan Greenspan e o investidor George Soros, a crise no setor imobiliário norte-americano ainda não gerou todo seu impacto sobre o crescimento do país.

Para o presidente do BC britânico, Mervyn King, os bancos levarão um tempo considerável para eliminar todas as perdas relacionadas aos calotes nas hipotecas oferecidas nos Estados Unidos.

"Nós temos muitos meses para enfrentar até que os bancos revelem todas as suas perdas... mas nós estamos indo na direção correta", afirmou King à BBC.

Durante palestra na Universidade de Nova York, George Soros afirmou que a economia dos Estados Unidos está à beira de uma forte correção e o Federal Reserve pode estar subestimando essa desaceleração potencial.

"Eu acho que nós estamos, definitivamente, caminhado para uma desaceleração e eu acredito que ela será maior do que (Ben) Bernanke (chairman do Fed) está vendo", afirmou o investidor.

Greenspan disse durante um fórum em Tóquio que o grande estoque de moradias não vendidas representa um grande risco para a economia norte-americana.

"Nós ainda precisamos acelerar a taxa de venda dos estoques, e isso significa reduzir o número de moradias em construção e aumentar as vendas. Temos um longo caminho pela frente", afirmou Greenspan, que respondeu a perguntas por meio de um vídeo de Washington.