CÂMBIO-Tímido, dólar sobe com turbulência internacional

sexta-feira, 6 de junho de 2008 16:17 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 6 de junho (Reuters) - O dólar fechou em alta de 0,49 por cento nesta sexta-feira, refletindo de forma tímida a turbulência internacional após a disparada do petróleo e o crescimento surpreendente do desemprego nos Estados Unidos.

A moeda norte-americana BRBY terminou o dia a 1,635 real. A queda acumulada pelo dólar no ano é de 7,99 por cento.

A estabilidade da moeda nesta sessão --que somente no final da tarde acelerou a alta, acompanhando a tensão-- contrastou com a correria no exterior. O destaque ficou para o petróleo em Nova York, que teve a maior alta da história e se aproximou dos inéditos 140 dólares por barril.

As bolsas de valores em Nova York também assustaram, com queda de mais de 2 por cento durante a tarde. Um dos principais fatores para o pessimismo foi o aumento do desemprego nos Estados Unidos para o maior nível desde outubro de 2004 --em maio, a taxa foi de 5,5 por cento.

A razão para a relativa frieza no câmbio é a aposta na tendência de baixa da moeda norte-americana no longo prazo.

"Se estivesse bom lá fora, o dólar estaria caindo", disse Renato Schoemberger, operador da Alpes Corretora. "Você tem uma expectativa alta de fluxo, não tem porque você comprar. Na segunda-feira o mercado lá fora melhora e você pode perder".

O recente grau de investimento e a trajetória de alta dos juros são vistos como os principais fatores que devem atrair dólares para o país, pressionando para baixo a taxa de câmbio.

A atuação do Banco Central no mercado teve pouca influência sobre o dólar. Foi aceita apenas uma proposta, segundo um operador, com taxa de corte de 1,6287 real.

(Edição de Cláudia Pires)