Venezuela anuncia oferta de blocos do Orinoco

sexta-feira, 6 de junho de 2008 10:20 BRT
 

CARACAS (Reuters) - A Venezuela anunciará em breve o cronograma para ofertar a empresas privadas nacionais e internacionais três blocos da faixa petrolífera do Orinoco, afirmou na quinta-feira à noite a estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA).

A estatal venezuelana explicou que oferecerá os blocos Carabobo 1, 2 e 3.

A exploração em Carabobo fazia parte de um acordo entre a PDVSA e a Petrobras que envolve a refinaria Abreu Lima, que está sendo construída em Pernambuco pela estatal brasileira com participação ainda não confirmada da PDVSA.

"Apesar de protocolos de intenções terem sido assinados e grupos de trabalho estarem trabalhando de um lado e de outro, nada saiu do papel e pelo jeito não vai sair, se estão vendendo os blocos", afirmou uma fonte da companhia que preferiu não se identificar.

Pelo acordo inicial, que começou a ser costurado em 2003, a Petrobras teria 40 por cento da exploração de Carabobo e 60 por cento da refinaria em Pernambuco, que processaria o petróleo pesado produzido no campo venezuelano, enquanto a PDVSA teria 60 por cento de Carabobo e 40 por cento na refinaria.

Depois de anos de negociação, a Petrobras já informou que tanto a sua participação em Carabobo como a da PDVSA na refinaria brasileira poderia cair para 10 por cento.

A Petrobras já iniciou as obras da refinaria, projeto de 2,5 bilhões de dólares para processar 200 mil barris diários de petróleo a partir de 2010.

A Petrobras entrou na Venezuela em 2003, após a compra em 2002 da argentina Perez Companc, que atuava na exploração e produção de petróleo e gás natural no país vizinho.

A bacia do Orinoco produz atualmente cerca de 600.000 barris por dia de petróleo pesado, a maior parte otimizado em quatro plantas de beneficiamento.

(Por Deisy Buitrago, com reportagem adicional de Denise Luna, no Rio de Janeiro)