6 de Outubro de 2008 / às 11:52 / 9 anos atrás

BOLSA EUROPA-Ações despencam com piora de situação bancária

Por Atul Prakash

LONDRES, 6 de outubro (Reuters) - Os mercados acionários europeus sofrem forte queda nesta segunda-feira, com um aprofundamento da crise do setor financeiro que força governos a resgatar grandes bancos e a proteger depósitos.

Os investidores ignoraram o pacote de resgate do setor financeiro de 700 bilhões de dólares, aprovado na sexta-feira pela Câmara dos Deputados dos Estados Unidos em uma segunda votação e sancionado no memso dia pelo presidente do país, George W. Bush.

Às 8h46 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3 das principais ações européias apresentava desvalorização de 5,04 por cento, para 1.035 pontos, com apenas dois papéis operando em alta entre as 312 ações. O índice apresenta queda de mais de 30 por cento até agora este ano.

As ações do setor bancário eram as que mais puxavam o índice para baixo, com os papéis do Dexia (DEXI.BR) despencando 25,4 por cento, do Credit Agricole (CAGR.PA) caindo 8,4 por cento, do BNP Paribas (BNPP.PA) em queda de 5,2 por cento e do Société Générale (SOGN.PA) com desvalorização de 9,51 por cento.

As ações do Commerzbank (CBKG.DE) mergulhavam 15,1 por cento. O HBOS HBOS.L, que deve ser adquirido pelo Lloyds TSB (LLOY.L), tinha queda de 14,16 por cento, enquanto o Lloyds se desvalorizava 7,9 por cento.

“Isso é o estouro de um movimento de manada”, disse Valerie Plagnol, estrategista-chefe do CM-CIC Securities, em Paris. “Nós nunca vimos, na história, o acontecimento de intervenção pública de uma forma tão maciça em um período de tempo tão curto.”

“A questão no momento é desobstruir o mercado aberto. Se o mercado aberto não estiver funcionando devidamente, nós estamos presos nesta situação.”

O custo dos empréstimos de fundos overnight no mercado aberto internacional permaneceu perto das metas de bancos centrais, graças à injeção contínua de liquidez, mas os empréstimos são praticamente inexistentes em todos os vencimentos.

Três outros governos europeus ofereceram garantias de depósitos bancários, à medida que autoridades de Washington a Seul lutam para conter a pior crise financeira em 80 anos.

A Alemanha informou que está considerando um “guarda-chuva” nacional para proteger o setor bancário do país da turbulência do mercado, uma reversão em uma política que ressaltava a preocupação crescente do governo quanto ao contágio financeiro.

A Alemanha assegurou no domingo que garantirá os depósitos em contas de particulares. O anúncio foi feito enquanto o governo fechou acordo para resgatar o banco Hypo Real Estate HRXG.DE. A medida foi seguida por ações similares tomadas pelos governos da Áustria e da Dinamarca, depois da Irlanda ter emitido a primeira e mais ampla garantia na semana passada.

Mas os papéis do banco de empréstimos hipotecários Hypo Real despencavam 35,7 por cento, depois de chegarem a serem negociadas em baixa de 48 por cento mais cedo.

“Os governos europeus estão buscando estabilizar o setor financeiro ao tentar resgatar algumas grandes instituições. Enquanto suas ações são instáveis, o ar de desespero permanece forte”, disse Chris Hossain, gerente sênior de vendas do ODL Securities.

Confira o desempenho das principais bolsas européias às 8h46:

BOLSA PONTUAÇÃO VARIAÇÃO %

Londres .FTSE 4.729 -5,04

Frankfurt .GDAX 5.504 -5,11

Paris .FCHI 3.854 -5,54

Madri .IBEX 10.943 -4,16

Milão .MIBTEL 18.508 -5,53

Lisboa .PSI20 7.226 -6,30

Veja como se comportaram as bolsas asiáticas [nN06466281]

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below