BOLSA EUROPA-Ações despencam com piora de situação bancária

segunda-feira, 6 de outubro de 2008 08:50 BRT
 

Por Atul Prakash

LONDRES, 6 de outubro (Reuters) - Os mercados acionários europeus sofrem forte queda nesta segunda-feira, com um aprofundamento da crise do setor financeiro que força governos a resgatar grandes bancos e a proteger depósitos.

Os investidores ignoraram o pacote de resgate do setor financeiro de 700 bilhões de dólares, aprovado na sexta-feira pela Câmara dos Deputados dos Estados Unidos em uma segunda votação e sancionado no memso dia pelo presidente do país, George W. Bush.

Às 8h46 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3 das principais ações européias apresentava desvalorização de 5,04 por cento, para 1.035 pontos, com apenas dois papéis operando em alta entre as 312 ações. O índice apresenta queda de mais de 30 por cento até agora este ano.

As ações do setor bancário eram as que mais puxavam o índice para baixo, com os papéis do Dexia (DEXI.BR: Cotações) despencando 25,4 por cento, do Credit Agricole (CAGR.PA: Cotações) caindo 8,4 por cento, do BNP Paribas (BNPP.PA: Cotações) em queda de 5,2 por cento e do Société Générale (SOGN.PA: Cotações) com desvalorização de 9,51 por cento.

As ações do Commerzbank (CBKG.DE: Cotações) mergulhavam 15,1 por cento. O HBOS HBOS.L, que deve ser adquirido pelo Lloyds TSB (LLOY.L: Cotações), tinha queda de 14,16 por cento, enquanto o Lloyds se desvalorizava 7,9 por cento.

"Isso é o estouro de um movimento de manada", disse Valerie Plagnol, estrategista-chefe do CM-CIC Securities, em Paris. "Nós nunca vimos, na história, o acontecimento de intervenção pública de uma forma tão maciça em um período de tempo tão curto."

"A questão no momento é desobstruir o mercado aberto. Se o mercado aberto não estiver funcionando devidamente, nós estamos presos nesta situação."

O custo dos empréstimos de fundos overnight no mercado aberto internacional permaneceu perto das metas de bancos centrais, graças à injeção contínua de liquidez, mas os empréstimos são praticamente inexistentes em todos os vencimentos.   Continuação...