ATUALIZA2-Crise ainda não chegou ao mercado interno, diz Anfavea

segunda-feira, 6 de outubro de 2008 15:29 BRT
 

(Texto atualizado com comentários do presidenta Anfavea)

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 6 de outubro (Reuters) - Um eventual impacto da crise de crédito internacional sobre as vendas internas de veículos no Brasil ainda não se fez sentir, apesar dos prazos de financiamento terem se reduzido, e a indústria de veículos continua confiante na manutenção de investimentos de 23 bilhões de dólares entre este ano e 2011, informou a entidade que reúne as montadoras instaladas no Brasil, Anfavea.

A entidade divulgou nesta segunda-feira que as vendas de veículos novos no Brasil cresceram 9,8 por cento em setembro em relação a agosto, para 268,7 mil unidades, e subiram 31,7 por cento na comparação com o mesmo mês de 2007.

"Não houve nada de diferente em setembro, estamos em ritmo normal. Aliás, os primeiros dias de outubro mostram crescimento de vendas sobre setembro... Ainda é muito cedo para se imaginar qualquer tipo de restrição ao mercado vinculado ao crédito", disse o presidente da Anfavea, Jackson Schneider.

Os comentários foram feitos em resposta a perguntas de jornalistas sobre um eventual impacto da crise internacional no Brasil, num dia em que a Bolsa de Valores de São Paulo teve seus negócios interrompidos por duas vezes, após queda que chegou a 15 por cento, e depois que duas montadoras anunciaram férias coletivas.

A General Motors (GM.N: Cotações) anunciou no final da tarde de sexta-feira que vai conceder férias coletivas a trabalhadores de algumas linhas de três fábricas do país entre 20 de outubro e 2 de novembro. Além disso, a Fiat FIA.MI, divulgou férias coletivas para cerca de 2 mil funcionários a partir da próxima semana.

Para Schneider, as decisões das duas montadoras não têm relação com o mercado interno.   Continuação...