BRA suspende operação e demite 1.100 empregados

terça-feira, 6 de novembro de 2007 20:56 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia aérea BRA Transportes Aéreos, que enfrenta crise financeira, informou nesta terça-feira que pediu à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) a suspensão temporária de todos os seus vôos a partir de quarta-feira. A empresa também anunciou a demissão de 1.100 pessoas, a totalidade de seus funcionários.

"A BRA está buscando um aporte financeiro junto a seus acionistas para que as operações se normatizem. Até então isso não foi concretizado, por isso ela está pedindo a interrupção dos vôos", informou a assessoria de imprensa da BRA, sem especificar que valor a empresa necessita.

O aviso prévio para todo o quadro de funcionários foi entregue nesta terça-feira, Dados anteriormente disponíveis informavam que a empresa tinha 800 empregados.

Em dezembro do ano passado, um grupo de investidores incluindo o Goldman Sachs e o Bank of America comprou 20 por cento da companhia aérea por valor não revelado.

A lista de sócios inclui ainda Darby BBVA Overseas Investments, Development Capital, Gávea Investment Fund, do ex-presidente do BC Armínio Fraga, HBK Investments e Millennium Global Investments.

Segundo dados da Anac de setembro, a empresa tinha 4,6 por cento do mercado doméstico, à frente da Ocean Air, que estava com 2,61 por cento.

A BRA faz em média 315 vôos por mês para 26 destinos nacionais e três internacionais. Fundada em agosto de 1999, operava apenas vôos charter (fretados) até o fim de 2005, quando tornou-se uma empresa regular.

CLIENTE DA EMBRAER

A frota atual da BRA é composta por dez aeronaves, todos Boeings, mas em junho a Embraer anunciou encomenda de até 40 aviões pela BRA. Procurada, a fabricante de aviões disse que comentaria sobre o status atual da ecomenda.   Continuação...