ANÁLISE-Oferta da OGX aquece mercado de abertura de capital

sexta-feira, 6 de junho de 2008 15:56 BRT
 

Por Jessica Hall

FILADÉLFIA (Reuters) - A mais quente operação do mercado de ofertas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) acontece na próxima semana no Brasil, com a negociação dos papéis da OGX Petróleo e Gás Participações, que espera levantar no mínimo cerca de 4,7 bilhões de reais.

A oferta pode se tornar a terceira maior de uma empresa brasileira, de acordo com a Dealogic. E, se um lote suplementar de ações for oferecido, o IPO chegará a cerca de 5,4 bilhões de reais.

Existe ainda uma opção para ações adicionais equivalentes a 20 por cento da oferta inicial, ou 989.076 ações, o que elevaria a oferta para 7,5 bilhões de reais, a maior do país.

A OGX, criada em setembro de 2007, pertence ao bilionário brasileiro Eike Batista, que fez fortuna em negócios de mineração. A empresa é parte do conglomerado de Batista, que inclui uma companhia de água, unidades de energia e a mineradora MMX Mineração,, que foi lançada ao mercado em 2006.

A chegada das ações da OGX pode aquecer o mercado brasileiro de IPOs, que chegou a ser afetado por preocupações com a crise de crédito nos Estados Unidos. Até agora neste ano, 23 IPOs brasileiros foram cancelados ou adiados, ante 10 aberturas de capital retiradas do mercado em 2007, segundo a Dealogic.

O IPO da OGX se espelha nas mega-ofertas do ano passado, que incluem a Bovespa, a maior já feita no Brasil ao levantar 6 bilhões de reais, e a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), que obteve 5,5 bilhões de reais, segundo a Dealogic.

Bastista pagou mais de 1 bilhão de dólares (1,6 bilhão de reais) por licenças de exploração de 21 blocos marítimos de petróleo, superando a Petrobras, StatoilHydro e Devon Energy Corp no leilão promovido pelo governo brasileiro em 2007.

A maior parte das licenças da OGX estão em águas rasas, com até 400 metros de profundidade. A empresa estima que as áreas onde obteve licenças possuem reservas de 4,8 bilhões de barris de óleo equivalente e espera que a produção comece em 2011.   Continuação...