ANÁLISE-Reformas para crescimento de longo prazo estão paradas

quarta-feira, 6 de agosto de 2008 16:50 BRT
 

Por Raymond Colitt

BRASÍLIA, 6 de agosto (Reuters) - A economia brasileira cresce no ritmo mais acelerado em décadas, mas o governo está fazendo pouco progresso nas reformas para assegurar a competitividade de longo prazo do país.

"As reformas estão andando mais lentamente do que eu gostaria, há muito o que fazer", afirmou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, em entrevista à Reuters na terça-feira.

Com investidores sendo afugentados de outros países da América do Sul por nacionalizações e controles de preços, o Brasil parece um refúgio para o capital estrangeiro. Mas o país é assolado há tempos pela ineficiência, buracracia e corrupção.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem conseguido fazer avançar a reforma tributária --única proposta legislativa importante desde o começo de seu segundo mandato em janeiro de 2007.

Com muitos congressistas já em campanha para as eleições municipais de outubro, analistas afirmam que não deve haver progresso neste sentido ainda neste ano.

Equivalente a 38 por cento do Produto Interno Bruto, a carga tributária do Brasil é mais do que duas vezes a da Índia e China.

Lula também ainda não cumpriu sua promessa de campanha de reeleição de apertar as regras de financiamento eleitoral, tornando os pleitos mais representativos e aumentando a disciplina partidária para fortalecer a coalizão governante.

Quase dois anos depois, o governo afirma que irá apresentar uma prosposta nesse sentido nas próximas semanas. Mas seus próprios congressistas afirmam que as chances de um progresso são pequenas.   Continuação...