May 6, 2008 / 9:14 PM / 9 years ago

PANORAMA2-Inflação pressiona juros futuros e devolve realidade

4 Min, DE LEITURA

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 6 de maio (Reuters) - A inflação ao consumidor encerrou de vez o bom humor do mercado após o grau de investimento, pressionando os juros futuros com a perspectiva de uma Selic mais alta no final deste ano.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe acelerou para 0,54 por cento em abril, após ter registrado alta de 0,34 por cento em março.

O dado antecipa a expectativa do mercado com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que será divulgado na sexta-feira. O IPCA é usado pelo governo como referência para a política monetária.

"Acreditamos que os dados divulgados continuam compatíveis com uma demanda e uma economia vigorosas, o que estaria em linha com nossa projeção de mais cinco altas de 0,5 ponto percentual" na taxa básica de juro, comentaram Paulo Leme e Luis Cezario, analistas do Goldman Sachs, em relatório.

O relatório sobre a produção industrial veio mais suave, com alguma desaceleração do setor no primeiro trimestre. Nada, porém, que possa sinalizar uma demanda mais fria, segundo analistas. No período, a produção cresceu 6,3 por cento em relação ao primeiro trimestre do ano passado --abaixo da expansão de 7,9 por cento do quarto trimestre de 2007.

Outros mercados tiveram uma sessão menos movimentada. O dólar e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fecharam praticamente estáveis, depois de oscilar de olho nos mercados internacionais.

Em Wall Street, o setor de energia foi um dos destaques, impulsionado pelo novo recorde do petróleo. O setor financeiro também teve bom desempenho após comentários positivos da concessora de hipotecas Fannie Mae FNM.

Veja como encerraram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO BRBY

O dólar terminou a 1,661 real, em leve alta de 0,12 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 2,69 bilhões de dólares.

Bolsa .Bvsp

O Ibovespa fechou praticamente estável, com oscilação positiva de 0,03 por cento, a 70.195 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,9 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS .BR20

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 0,17 por cento, aos 42.240 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 12,89 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 13,93 por cento.

Global 40 braglb40=Rr

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 136,625 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 4,94 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS 11EMJ

No final da tarde, o risco Brasil recuava a 193 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 244 pontos-básicos.

Bolsas Dos Eua

O índice Dow Jones .DJI subiu 0,40 por cento, a 13.020 pontos. O Nasdaq .IXIC avançou 0,78 por cento, para 2.483 pontos. O índice S&P 500 .SPX teve valorização de 0,77 por cento, aos 1.418 pontos.

Treasuries De 10 Anos us10yt=Rr

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuou e o rendimento avançou para 3,92 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

Reportagem adicional de Aluísio Alves e Vanessa Stelzer; Edição de Alexandre Caverni

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below