Para BID, A.Latina enfrenta riscos econômicos "imprevisíveis"

segunda-feira, 7 de abril de 2008 12:49 BRT
 

MIAMI, 7 de abril (Reuters) - A América Latina enfrenta "riscos imprevisíveis" decorrentes da crise de hipotecas de alto risco (subprime) e da turbulência financeira que ela disseminou pelos mercados mundiais, avaliou o Banco Interamericano de Desenvolvimento nesta segunda-feira.

Em relatório divulgado em sua reunião anual, em Miami, o BID afirmou que a perspectiva econômica de curto prazo para a América Latina é "positiva" no geral. Mas alertou que a região talvez esteja mais exposta do que nunca a mudanças bruscas no fluxo de capital e de investimentos internacionais.

Segundo o BID, a expectativa é de que o crescimento da região desacelere para algo entre 4,0 e 4,5 por cento este ano, frente a 5,6 por cento em 2007, principalmente devido ao desaquecimento da economia dos Estados Unidos.

Se a desaceleração norte-americana se tornar uma recessão, a expansão da América Latina pode ser ainda menor, de acordo com o relatório, que citou recentes previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Apesar de um recuo no recente salto dos preços de alimentos e energia pelo mundo, o relatório do BID também alertou que "a inflação subirá em muitos países".

Mais importante, para uma região cujas fortunas são geralmente vistas como relacionadas às dos Estados Unidos, o BID apontou que "os riscos mais imprevisíveis... dizem respeito aos mercados financeiros internacionais".

"O desdobramento completo da crise financeira e hipotecária nos Estados Unidos ainda não é conhecido, nem seus efeitos sobre os mercados de dívida e sobre o fluxo de capital nos países da América Latina", acrescentou o relatório.

"Muitas dessas economias nunca tiveram o grau de exposição aos riscos que esse intenso fluxo de capital representa a seus sistemas financeiros, mercados domésticos e ativos financeiros."

(Por Tom Brown)