Braskem prepara 2 emissões com valor total de até US$1,2 bi

quarta-feira, 7 de maio de 2008 13:00 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - Diante do momento favorável que vive o mercado brasileiro após a conquista do grau de investimento, a Braskem trabalha em duas emissões para refinanciar parte de sua dívida.

Com prazo médio da dívida de 11 anos, a companhia trabalha para refinanciar o empréstimo-ponte de 1,2 bilhão de dólares que fez em abril de 2007 com três bancos -- Calyon, ABN Amro e Citibank -- para adquirir os ativos do grupo Ipiranga.

"O ambiente hoje é muito mais favorável para refinanciar depois da conquista do grau de investimento", disse José Carlos Grubisich, presidente da Braskem, em encontro com a imprensa. No final de março, a dívida líquida da Braskem era de 7,4 bilhões de reais.

Além de uma emissão de bônus no mercado internacional de 300 milhões a 400 milhões de dólares, a Braskem também trabalha na busca de um empréstimo sindicalizado que tenha as exportações como garantia. Nesse caso, a operação envolve 700 milhões a 800 milhões de dólares.

"Com as duas operações, podemos refinanciar integralmente o empréstimo-ponte", explicou Carlos Fadigas, diretor financeiro da companhia.

Segundo ele, como o empréstimo tem prazo de vencimento de dois anos a partir de cada saque, "Essa flexibilidade funcionou a favor da Braskem", disse ele, e, por isso, a empresa ainda não tem pressa. O primeiro saque foi feito em abril e o último no início deste ano.

"Aguardamos o melhor momento para fazer isso e esse momento chegou", afirmou Fadigas, já que o risco país caiu com o investment grade.

O prazo para a conclusão das operações, segundo ele, pode ser de três a quatro meses.