TAP vê África como possível vetor de crescimento

segunda-feira, 7 de abril de 2008 15:48 BRT
 

Por Patrícia Vicente Rua

LISBOA (Reuters) - A África pode vir a se tornar um novo 'vetor' de crescimento da companhia aérea TAP-Portugal, que definiu o mercado africano e o brasileiro como estratégicos, disse Fernando Pinto, presidente-executivo.

Em entrevista para o Reuters Latam Summit Investment, ele acrescentou que a TAP não prevê participação em novos movimentos de fusões e aquisições, já tendo consolidado sua posição no mercado interno com a compra da Portugália, em 2007.

"Hoje não há ainda uma decisão para criar um novo destino na África, mas o continente é estratégico para nós, assim como o Brasil, e a África pode vir a ser a grande fonte de continuidade de crescimento da TAP", apontou Fernando Pinto, em entrevista simultânea no Brasil e Portugal.

"Acabamos de criar uma direção de negócios para analisar em conjunto as estratégias para a África", acrescentou.

A TAP opera atualmente 66 vôos semanais para o Brasil e 41 para o continente africano.

Em 2007, o lucro da TAP subiu 349 por cento, para 32,8 milhões de euros, e os lucros operacionais aumentaram 16,1 por cento para 1,92 milhões de euros. O Ebitdar --geração de caixa medida antes de descontos por juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves-- cresceu 35,9 por cento, para 250 milhões de euros, e os resultados operacionais subiram 163 por cento, para 79 milhões de euros.

INVESTIMENTOS

A compra de seis novos aviões, num investimento de cerca de 460 milhões de euros, que permitirão à empresa aumentar a oferta de assentos, o reforço de vôos para a Europa, Brasil e África, bem como a integração total da Portugália na TAP, deverão ajudar a companhia aérea a alcançar as metas para 2008.   Continuação...