Rio Tinto não precisa de BHP para se valorizar, diz executivo

segunda-feira, 7 de abril de 2008 16:36 BRT
 

MONTREAL, 7 de abril (Reuters) - A Rio Tinto (RIO.L: Cotações) anunciou nesta segunda-feira que ainda rejeita a oferta hostil de 135 bilhões de dólares feita pela BHP Billiton (BLT.L: Cotações) e que está realizando um bom trabalho sozinha.

O presidente-executivo da Rio Tinto, Tom Albanese, afirmou que a turbulência nos mercados financeiros globais não está reduzindo o crescimento econômico em países emergentes com rápido crescimento, como a China.

"Portanto, permanecemos focados em maximizar valor para os acionistas da Rio Tinto, e não precisamos da BHP Billiton para isso", declarou Albanese, em um seminário.

Comentando o assunto China, Albanese afirmou que a demanda interna, guiada pela industrialização e pela urbanização, é o principal fator que comanda o crescimento da economia do país, não apenas as exportações para os Estados Unidos.

Ele destacou recentes contratos para fornecimento de minério de ferro para a China, firmados por concorrentes que conseguiram alta de até 71 por cento em relação ao ano passado, como um sinal de que a oferta e a demanda continuam guiadas pelos fundamentos da economia, não pelos mercados de ações.

Albanese afirmou não acreditar que uma recessão nos EUA possa ter um impacto significativo na demanda por aço, cobre e alumínio da China.

"Nossa estimativa é de que, se houver uma recessão nos EUA, o impacto no crescimento do PIB da China será de 1 por cento ou menos."

Albanese afirmou que acredita em um crescimento do PIB da China de 10 por cento neste ano.

(Reportagem de Robert Melnbardis)