No Rio, Gabeira reúne direita; esquerda se aproxima de Paes

terça-feira, 7 de outubro de 2008 19:36 BRT
 

Por Mair Pena Neto

RIO DE JANEIRO, 7 de outubro (Reuters) - Militante de esquerda contra a ditadura militar, o que lhe custou a prisão e o exílio, Fernando Gabeira (PV) congrega à sua volta no segundo turno da eleição para prefeito do Rio de Janeiro os partidos classificados no espectro do centro à direita.

Já Eduardo Paes (PMDB), ex-tucano e cria do liberal Cesar Maia, atual prefeito da cidade e com quem rompeu, atrai os partidos do centro à esquerda.

Com o PSDB em sua aliança desde o primeiro turno, Gabeira obteve agora o apoio do DEM, que classificou sua candidatura como a "que mais se aproxima das políticas executadas na perfeitura desde 1993", ano do primeiro governo de Cesar Maia.

Paes deverá ter o apoio do PT, com quem já conversou, e ganhou nesta terça-feira a adesão do PSB, que prega a união das esquerdas em torno de seu nome.

"Além de conter o avanço do neo-udenismo conservador a serviço das forças do atraso --notadamente PSDB e DEM--, a eleição de Eduardo Paes fortalecerá a base de sustentação do governo Lula e apontará para a preservação de suas conquistas no pleito de 2010", disse o PSB em nota.

O aparente paradoxo revela pragmatismo, conteúdo ideológico e compromisso com a sucessão presidencial de 2010, avaliam analistas.

A cientista política da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Alessandra Aldé não vê com surpresa a união de partidos mais à direita em torno de Gabeira.

"A candidatura de Gabeira dificilmente pode ser considerada de esquerda. Basta ver as alianças que ele fez ainda no primeiro turno, quando veio com o PSDB, que lhe garantiu um tempo de televisão forte", observou.   Continuação...