CANAL ENERGIA-Energia nuclear deve crescer 68% entre 2007 e 2030

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 10:08 BRST
 

Energia nuclear tem projeção de crescimento de até 68% entre
2007 e 2030

Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Negócios
07/12/2007

A geração nuclear no mundo deverá crescer entre 12% e 68% entre
2007 e 2030, segundo dados da Associação Brasileira para
Desenvolvimento de Atividades Nucleares. Hoje, a energia
nuclear representa 16% da matriz energética mundial e 2% da
matriz elétrica brasileira. De acordo com Leonam dos Santos
Guimarães, assessor da presidência da Eletronuclear, atualmente
existem 370 GW instalados em 31 países, em um total de 443
usinas, além de 26 usinas em construção que irão agregar 20.858
MW, sendo que oito delas ficam na Índia e quatro na Rússia.

Entre os países que mais utilizam a energia nuclear,
encontram-se os Estados Unidos, com 104 reatores em operação e
uma produção de 99.210 MW, a França, com 59 reatores e uma
produção de energia de 63.363 MW e o Japão, com 56 reatores e
uma produção de 47.839 MW. O Brasil possui apenas dois reatores
- Angra 1 e 2 - com produção de 1.900 MW. De acordo com
Bertrand Vieillard, delegado-geral da Sociedade Francesa de
Energia Nuclear, a França produziu em 2006 cerca de 450,2 TWh
de energia através de fontes nucleares.

Mesmo tendo uma grande parte da sua energia produzida através
de fontes nucleares, a França não engloba o grupo dos sete
países que detém 77% das reservas de urânio, combustível
utilizado nas usinas nucleares. As reservas se encontram no
Cazaquistão, Austrália, África do Sul, Estados Unidos, Canadá,
Brasil e Namíbia. "O Brasil ocupa a 6 posição, sendo que
apenas 30% do território nacional foi prospectado", afirmou
Leonam.

Durante o primeiro dia do evento "Energia Nuclear como
Alternativa Susutentável", na última quinta-feira, dia 6 de
dezembro, o diretor-geral da Associação Mundial de Energia
Nuclear, John Ritch, atentou para o fato de que os países estão
buscando diminuir suas emissões de dióxido de carbono na
atmosfera ao mesmo tempo em que precisam aumentar sua
capacidade de produzir energia. Ritch ecplicou que a energia
nuclear é uma fonte limpa, que não emite CO2 na atomosfera.

"Temos uma emergência global. Precisamos cortar as emissões de
dióxido de carbono em 60%, mesmo aumentando o uso da energia.
Por isso, a energia nuclear é tão necessária, já que não emite
gases nocivos na atmosfera", explicou. Ele disse ainda que o
custo dessa fonte está em declínio no mundo inteiro, sendo cada
vez mais competitiva. De acordo com Leonam, da Eletronuclear,
caso Angra 3 venha a ser construída, o preço de sua energia não
deverá ultrapassar os R$ 140/MWh.






 CANAL ENERGIA é uma publicação do Grupo Canal Energia.


 (As informações ou opiniões acima são de responsabilidade
do CANAL ENERGIA -- www.canalenergia.com.br -- e não devem ser
consideradas notícias da Reuters.)


 Notícias sobre energia em português [ENERG.SA]
 Outras notícias do Canal Energia [CANAL.SA]
 Acompanhe o índice de energia da Bovespa .IEE