Colômbia amplia denúncias sobre ligações de Correa com as Farc

sexta-feira, 7 de março de 2008 15:34 BRT
 

SANTO DOMINGO (Reuters) - O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, acusou na sexta-feira o presidente do Equador, Rafael Correa, de manter contatos regulares com as Farc e de buscar um acordo político com a guerrilha, segundo documentos apreendidos da guerrilha.

Uribe revelou uma série de supostas cartas dos altos líderes das Farc que revelariam ligações do movimento com funcionários da equipe de Correa e deu a entender que estes acordos garantiam apoio ao líder nacionalista equatoriano na campanha que o levou ao poder em janeiro de 2007.

"Aqui estão as cartas", disse Uribe, que assegurou que a documentação será enviada à Justiça para que seja analisada.

As cartas fazem uma relação de eventos que ocorreram na recente história política do Equador e da região, com referências à existência de um suposto emissário oficial e do movimento político de Correa.

A denúncia ocorreu durante o encontro do Grupo do Rio, que acontece na República Dominicana, no contexto da disputa diplomática entre Equador e Colômbia devido a incursão de tropas colombianas em território equatoriano que culminou com a morte de um dos líderes das Farc.