BCE mantém juro da zona do euro apesar de pressões

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008 11:31 BRST
 

Por Laura MacInnis

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) manteve nesta quinta-feira a taxa básica de juro da zona do euro em 4,0 por cento, desafiando os pedidos de um corte para ajudar a combater a desaceleração econômica mundial.

Os mercados não reagiram de forma significativa após a decisão, que já era esperada. O foco agora está no discurso do presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, sobre a situação econômica.

Economistas estão esperando para ver se Trichet dará alguma indicação de que o BCE seguirá o Federal Reserve e o Banco da Inglaterra e cortará a taxa de juro ainda neste ano.

Luigi Speranza, do BNP Paribas, disse que Trichet precisa enfrentar um equilíbrio delicado em seus comentários, já que deve ser pressionado por sinais de um crescimento econômico mais fraco.

"Ele não pode negar os dados que estão saindo fracos e, ao mesmo tempo, ele quer mostrar que a inflação ainda é a prioridade", disse Speranza. "Qualquer reconhecimento sobre o crescimento será visto como um sinal de que podem cortar a taxa de juro."

O BCE tem até agora resistido a seguir os cortes de juros de Estados Unidos, Canadá e Inglaterra.

O Banco da Inglaterra reduziu a taxa de juro nesta quinta-feira em 0,25 ponto percentual, para 5,25 por cento, para ajudar a economia britânica.

Este foi o segundo corte desde dezembro devido a preocupações de que uma forte desaceleração nos Estados Unidos possa atingir a atividade mundial.

Na zona do euro, recentes indicadores econômicos têm sinalizado para um crescimento menor na Espanha, Itália e Portugal.