Para Lula, lucros recordes de bancos compensam alta da CSLL

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008 07:57 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que os resultados recordes recentes dos bancos compensarão o aumento da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) anunciado no início do ano.

Ele reiterou também, em seu programa de rádio "Café com o Presidente", que o governo manterá os programas sociais, apesar do fim da CPMF.

"Aumentamos (a CSLL) de 9 para 15 por cento. E os banqueiros não reclamaram. E não reclamaram por quê? Porque os bancos tiveram muito lucro nesses últimos anos. Os bancos estão ganhando...vão poder pagar um pouco mais", disse o presidente.

O governo elevou também o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para contrabalançar as perdas com a arrecadação da CPMF.

Diante da perda do imposto, o presidente disse que "resolvemos com muita seriedade e com muita tranquilidade...anunciar ao Brasil que temos que cortar na veia outra vez, ou seja, temos que cortar gastos".

De acordo com ele, tal corte de gastos valerá para os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Ainda assim, o presidente declarou que os programas sociais serão mantidos e que o investimento em educação "é condição fundamental para que o Brasil dê um salto de qualidade".

"Quando nós tivermos com todas as escolas públicas brasileiras com banda larga, com laboratório de informática, nós estaremos fazendo uma revolução silenciosa", acrescentou.