Fundos perdem R$10,2 bi em junho com solavancos do mercado

segunda-feira, 7 de julho de 2008 12:37 BRT
 

SÃO PAULO, 7 de julho (Reuters) - O mercado brasileiro de fundos perdeu recursos em junho pelo terceiro mês seguido e, apesar das perdas da Bovespa e do aumento do juro básico, foi a renda fixa que mais registrou saída de investidores.

Para a segunda metade do ano, a expectativa de analistas é de mais volatilidade e muita cautela nas aplicações, com o repique da inflação.

Balanço da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) mostra que os fundos amargaram 10,2 bilhões de reais em resgates acima das aplicações no mês passado. Somente na renda fixa, houve saída de 10 bilhões de reais, enquanto os fundos multimercado e de ações em conjunto captaram 5,3 bilhões de reais.

Nesse período, o principal índice acionário da Bovespa .BVSP caiu cerca de 10 por cento --um movimento que afugentou investidores estrangeiros, mas foi considerado como uma oportunidade de compra por uma parte do mercado doméstico.

Os fundos da categoria multimercados com renda variável e alavancagem apresentaram a melhor rentabilidade do mercado, com desempenho médio de 1,1 por cento. Mesmo assim, perderam para a taxa de 1,98 por cento do IGP-M no mês.

"Não teve investimento de sucesso ganhando da inflação no primeiro semestre. E a situação do segundo semestre é ainda muito incerta para saber se vamos reverter essa situação", afirmou à Reuters o professor de Finanças da FGV-SP e da PUC-SP Fabio Gallo, antes da divulgação dos dados.

"Vai haver migração para fundos de menor risco. Os próprios administradores vão optar por mais cautela, ninguém é bobo de querer ficar mostrando perdas... Mas, ao mesmo tempo, ouve-se o comentário 'puxa, a bolsa está barata'."

Até o momento, os investidores internacionais são os mais ressabiados com a turbulência no mercado acionário. Em junho, sem considerar as ofertas públicas iniciais, a Bovespa teve saída recorde de estrangeiros de 7,415 bilhões de reais.

A Anbid informou ainda que no acumulado do primeiro semestre os fundos tiveram captação líquida de 6,32 bilhões de reais, com destaque para os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (Fdic) e fundos de participação. Juntos, esses dois segmentos tiveram captação líquida de 31,3 bilhões de reais.

No mesmo período, os fundos de ações e multimercados tiveram saída líquida de 32,45 bilhões de reais. A renda fixa, também já contabilizadas as aplicações, perdeu 11,69 bilhões de reais. Os fundos DI, que acompanham a flutuação do juro, receberam 3,48 bilhões de reais acima dos resgates.

(Por Daniela Machado; Edição de Aluísio Alves)