Bovespa fecha perto da mínima do dia, em baixa de 1,5%

quarta-feira, 7 de novembro de 2007 19:18 BRST
 

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO (Reuters) - A queda da Bolsa de Valores de São Paulo nesta quarta-feira teve dois culpados: a alta de 2,5 por cento da véspera e a forte queda de Wall Street nesta sessão. Resultados abaixo do esperado também contribuíram para o clima mais pesado do dia.

Com isso, o principal indicador da bolsa paulista recuou 1,55 por cento, para 63.500 pontos.

Nos Estados Unidos, entretanto, o movimento foi bem mais acentuado. Os principais índices cederam mais de 2 por cento cada, segundo dados preliminares do fechamento, com operadores citando preocupações com a crise de crédito.

"Isso é um fator positivo, significa que nós não estamos totalmente vinculados ao pessimismo externo", disse Miguel Daoud, diretor da Global Financial Advisor, lembrando que até pouco tempo o Ibovespa reagia com mais intensidade aos movimentos de Wall Street.

"(Isso se deve em parte) à nossa posição mundial no mercado de commodities. Hoje a Petrobras segurou uma queda maior", complementou. O papel foi um dos únicos do Ibovespa a fechar no azul.

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda em sessão volátil nos Estados Unidos nesta quarta-feira, mas bem acima da mínima da sessão e abaixo do recorde atingido durante o pregão, acima de 98 dólares o barril.

Na Bovespa, a maior queda foi Telesp, que recuou 5,46 por cento, para 55,41 reais. A terceira maior foi TIM, com baixa de 4,39 por cento, a 7,19 reais. Os resultados de ambas as empresas decepcionaram investidores.

No pior momento do dia, os papéis da TIM chegaram a recuar quase 7 por cento. A empresa divulgou aumento do prejuízo, afetada por uma falha identificada por um novo sistema de cobrança.   Continuação...