Inflação da baixa renda pode ser o dobro do índice geral no ano

segunda-feira, 7 de julho de 2008 13:18 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A inflação da baixa renda diminuiu em junho, mas se manteve acima da variação dos preços do restante da população. Para a Fundação Getúlio Vargas, responsável pelo dado, a inflação dos mais pobres pode encerrar o ano com o dobro da taxa do IPC-Brasil.

O IPC para a pessoas com renda de 1,0 a 2,5 salários mínimos desacelerou para 1,29 por cento no mês passado, ante 1,38 por cento em maio, devido à menor pressão dos alimentos.

"Esse resultado ainda é o segundo maior da história, perdendo apenas para o dado de maio. O problema é que esse recuo não é sustentável. Itens que puxaram para baixo como leite e óleo de soja já tem indicações de novas altas", disse o economista da FGV André Braz.

"As notícias para esses produtos não são boas, uma vez que houve inundações em áreas produtoras nos Estados Unidos e a estiagem está afetando as pastagens no Brasil... A tendência da inflação da baixa renda é de aceleração."

No ano, a inflação da baixa renda acumula alta de 5,97 por cento, enquanto o IPC-Brasil subiu 3,84 por cento.

"A distância entre os índices tende a aumentar. Há chances de a inflação da baixa renda ser o dobro da inflação do resto da população. Já estamos perto disso", acrescentou o economista.

(Por Rodrigo Viga Gaier)