Uruguai descarta febre aftosa na fronteira com o Brasil

terça-feira, 7 de outubro de 2008 10:10 BRT
 

MONTEVIDÉU, 6 de outubro (Reuters) - O Uruguai descartou na segunda-feira uma denúncia sobre um possível foco de febre aftosa no norte do país, informou o Ministério de Pecuária, Agricultura e Pesca em um comunicado.

O diretor-geral do ministério, Francisco Muzio, explicou no comunicado que um boi sacrificado no departamento de Artigas, na fronteira com o Brasil, sofria de brucelose, e não de febre aftosa.

"Foram revisados todos os animais e nenhum manifestava sintomas clínicos compatíveis com enfermidades vesiculares, e por isso conclui-se que o caso não se encaixa dentro do que se considera uma suspeita de febre aftosa", disse o comunicado divulgado no site da Presidência.

Horas antes, o ministro da Pecuária, Ernesto Agazzi, tinha informado que estava sendo investigada uma denúncia sobre o possível foco em quatro animais abatidos no local.

O Uruguai é um país livre de aftosa com vacinação, depois de em 2000 e 2001 terem sido encontrados vários focos da doença, que provocaram a suspensão das exportações de um dos principais produtos locais e o sacrifício de milhares de animais.

O país deve superar o recorde de vendas ao exterior de carne bovina neste ano, com exportações entre 1,3 e 1,4 bilhão de dólares, apesar de a crise financeira que afeta Estados Unidos e Europa ter provocado a desaceleração das vendas e uma queda no preço do produto nas últimas semanas.

(Por Patricia Avila)