Petrobras participará de licitação para Carabobo

segunda-feira, 7 de julho de 2008 18:44 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, informou que a estatal decidiu abrir mão dos 10 por cento que iria ter no campo de Carabobo 1, na Venezuela, para participar da licitação da área que será realizada pelo país vizinho, tentando uma fatia de 40 por cento no projeto.

"Decidimos abrir mão dos 10 por cento e vamos participar da licitação internacional, com o objetivo de ter 40", declarou Costa.

Os 10 por cento que a Petrobras teria em Carabobo seriam uma contrapartida pela participação da estatal venezuelana PDVSA na refinaria de Pernambuco, Abreu Lima.

Com o anúncio feito nesta segunda-feira, a Petrobras volta a buscar uma participação prevista em um acordo inicial com a Venezuela, firmado em 2005.

Naquela época, havia ficado acertado que a Petrobras ficaria com 40 por cento do projeto venezuelano e 60 por cento da refinaria no Brasil, enquanto a PDVSA teria 40 por cento na refinaria Abreu Lima e 60 por cento da exploração do petróleo pesado de Carabobo.

Rumores de que a Petrobras teria desistido da exploração em Carabobo para priorizar a exploração no Brasil ganharam força quando a estatal anunciou que reduziria a participação a 10 por cento e o contrato da refinaria não era assinado.

Segundo Costa, em até 90 dias o contrato da refinaria será assinado com a PDVSA.

"As avaliações com o tempo vão se alterando, o cenário vai mudando... há dois, três anos não tinha pré-sal, as coisas mudam", justificou o executivo sem dar detalhes sobre a mudança e sem querer comentar se houve pressão política para a Petrobras tentar elevar a participação no projeto venezuelano.

"Se não tivermos sucesso lá em Carabobo ainda temos os campos que já estão em produção (na Venezuela) e vamos fazer a refinaria juntos", disse Costa, afirmando que mesmo que a Petrobras não ganhe a licitação a PDVSA continuará parceira na refinaria.   Continuação...