April 7, 2008 / 12:19 PM / 9 years ago

Aracruz tem lucro menor, mas ação sobe com preço maior

5 Min, DE LEITURA

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - A Aracruz Celulose, maior fabricante mundial de celulose branqueada de eucalipto, anunciou nesta segunda-feira lucro líquido de 167,9 milhões de reais no primeiro trimestre, queda de 40 por cento em relação ao resultado obtido um ano antes de acordo com padrões contábeis do Brasil.

O resultado foi impactado por menores ganhos financeiros com operações com derivativos e cambiais e também por alta nos custos.

Apesar da queda, as ações da companhia avançavam 5,68 por cento às 12h29, enquanto o Ibovespa subia 1,14 por cento.

O otimismo decorre pelo resultado da companhia em padrões norte-americanos (US GAAP), que mostraram alta de 17 por cento no lucro líquido e de 8 por cento na geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês).

A companhia ainda informou que reajuste de preços de cerca de 5 por cento na celulose foi implementado em 1o de abril, após aumento semelhante feito em fevereiro. Com isso, o preço da celulose vendida pelo grupo passou a cerca de 840 dólares a tonelada.

"Podemos ter novos aumentos no decorrer do ano. Eu creio que os fundamentos (do mercado de celulose) são positivos", disse o diretor financeiro da Aracruz, Isac Zagury, em entrevista à Reuters. Ele evitou fazer previsões.

"A gente está com dificuldade de atender tanta demanda que está ocorrendo agora. Vamos produzir 3,3 milhões de toneladas este ano e isso está praticamente vendido", disse Zagury, acrescentando que o desafio da companhia este ano será atingir essa meta, que é 200 mil toneladas acima do volume de celulose produzido em 2007.

"A demanda por celulose de eucalipto cresceu 22 por cento nos últimos 12 meses, até fevereiro de 2008, comparado ao mesmo período do ano anterior", informou a empresa em comunicado. Segundo a Aracruz, a China continua a ser a região que apresenta o mais forte crescimento na demanda por celulose de mercado.

No final de fevereiro, a demanda chinesa por celulose química cresceu 15,5 por cento e para a celulose de fibra curta se expandiu em 60 por cento, comparado ao mesmo período do ano anterior.

DIFERENÇAS

Segundo o executivo, o lucro do primeiro trimestre em padrões contábeis do Brasil (BR GAAP) caiu na comparação com o mesmo período do ano passado em virtude da base forte de comparação.

Além disso, ao longo do primeiro trimestre de 2008, a companhia teve que fazer algumas paradas na unidade Barra do Riacho (ES) "para a realização de ajustes e substituição de equipamentos, o que causou perdas de produção, um maior consumo de matérias primas e maiores custos com manutenção".

A empresa prevê investir 635 milhões de dólares entre o segundo e o quarto trimestre deste ano e esse total é elevado para 738 milhões de dólares se incluído injeções de recursos da Aracruz na Veracel.

Os valores não incluem expansões fabris nas unidades de Guaíba, Veracel e de um terceiro projeto de crescimento de 1,4 milhão de toneladas de celulose de fibra curta.

"A expansão em Guaíba está praticamente tomada, o que falta é uma decisão formal em abril", disse Zagury.

O executivo informou que entre cinco a sete anos a empresa poderá investir na produção de etanol produzido com celulose.

"No longo prazo, o etanol a partir de celulose será uma realidade. Isso é mais um uso para o produto, o que seria interessante para o mercado. Para a Aracruz, nós estamos estudando, pesquisando, mas não tem nada definido", disse Zagury.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below