7 de Abril de 2008 / às 13:57 / em 9 anos

Mercado vê primeira alta de juro em abril, mostra Focus

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado acredita que o Banco Central iniciará já em abril um ciclo de aperto monetário que levará a taxa básica de juro Selic a 12,50 por cento no final do ano, previsão superior à da semana passada, segundo relatório Focus divulgado nesta segunda-feira.

A estimativa para a Selic passou de 12,00 para 12,50 por cento para o final de 2008. Para o fim de 2009, a projeção da taxa também foi elevada, de 10,50 para 11,25 por cento.

A estimativa para o juro na reunião de 15 e 16 de abril do Comitê de Política Monetária (Copom) foi revista de 11,25 por cento --atual patamar-- para 11,50 por cento.

Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, acredita que os prognósticos para o ano podem ser reduzidos mais para a frente, indicando um número menor de altas de juro.

“Eu acho que não vamos precisar de aumentos nessa magnitude. Acho que o governo deve tomar outras medidas, como a redução no Orçamento que vem sendo discutida”, disse ela.

“Acho que o Focus não levou isso em conta, porque é uma discussão mais recente. Além disso, o hiato do produto tende a se equacionar, como alguns dados vêm mostrando.”

O Copom vem mostrando preocupação com a força do consumo doméstico e sua pressão sobre a inflação, mas além de as expectativas de preços estarem em linha com as metas, analistas notam um aumento de investimentos que absorveria a demanda.

O mercado também aumentou suas estimativas para a inflação no ano, mas o número está exatamente no centro da meta perseguido pelo governo, de 4,5 por cento, que tem dois pontos percentuais de tolerância para cima ou para baixo.

O prognóstico para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2008 passou de 4,47 por cento na semana passada para 4,50 por cento.

Já para o final de 2009, o índice teve um leve reajuste para baixo, passando de 4,31 para 4,30 por cento.

O relatório manteve a estimativa para o crescimento econômico neste ano em 4,6 por cento. A projeção para a expansão em 2009 caiu de 4,06 para 4,00 por cento.

O prognóstico para o dólar no final deste ano foi mantido em 1,75 real e, para o fim de 2009, passou de 1,83 real para 1,85 real.

Por Cláudia Pires e Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below