Greenspan culpa investidores, e não o Fed, pela crise atual

segunda-feira, 7 de abril de 2008 11:34 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O ex-chairman do Federal Reserve, Alan Greenspan, se defendeu das acusações de que políticas menos rígidas nos Estados Unidos criaram a atual crise de crédito ao inflar a bolha imobiliária e culpou os investidores profissionais pela crise.

Em artigo publicado no jornal Financial Times, Greenspan disse que a bolha imobiliária que se inflou entre 2001 e 2006 não se restringiu aos Estados Unidos.

"A bolha norte-americana foi próxima à experiência média mundial e a evidência de que a política monetária colaborou com a bolha é estatisticamente muito frágil", apontou Greenspan.

Na gestão Greenspan, o Fed reduziu as taxas de juros de 6,5 por cento em 2000 para 1,0 por cento em meados de 2003.

O Fed tem sido acusado de manter as taxas de juros muito baixas por muito tempo à medida em que procurou ajudar a economia dos Estados Unidos na seqüência do colapso nos papéis de empresas de Internet e da queda de confiança pós 11 de setembro.

Mas Greenspan observou que as condições econômicas dos Estados Unidos ainda estavam frágeis em junho de 2003, quando o Fed reduziu os juros para 1,0 por cento.

A instituição passou a elevar os juros depois de um ano, mas mesmo então, segundo ele, as condições do mercado não favoreciam o crescimento de bolhas.

"Tanto a base monetária quanto o indicador M2 subiram menos que os 5 por cento no ano seguinte (2004), um incentivo baixo para uma expansão forte de crédito".

Greenspan culpou os investidores pela crise nos Estados Unidos. "O centro do problema do subprime está no equívoco de juízo da comunidade de investidores", apontou.   Continuação...