Unibanco repete rivais, com mais crédito e lucro menor

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 14:54 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Vigoroso crescimento do crédito e manutenção de baixos índices de inadimplência, contrabalançados por queda no lucro líquido e números mais fracos na receita com prestação de serviços. Essa foi a tônica do balanço de segundo trimestre do Unibanco, divulgado nesta quinta-feira.

O padrão é o mesmo demonstrado por Bradesco e Itaú no início da semana.

A exemplo de seus rivais, o Unibanco também manteve um cenário benigno para os financiamentos na segunda metade do ano, a despeito do ciclo de aperto monetário iniciado pelo Banco Central em abril.

A partir de agora, no entanto, a instituição avalia que os bancos precisarão mostrar mais habilidade para continuar expandindo as principais operações sem comprometer a qualidade da carteira.

"Daqui para frente, a ciência vai ser administrar expansão de volumes e o risco", disse o vice-presidente corporativo do banco, Geraldo Travaglia, em teleconferência com jornalistas.

Por isso, o executivo anunciou que o Unibanco concentrará seus esforços de expansão de financiamentos nas operações de menor risco, como as direcionadas a empresas e, no varejo, no crédito consignado com emissão própria, e os direcionados aos financiamentos automotivo e imobiliário.

Mesmo com a expansão de 33,6 por cento da carteira de crédito em 12 meses, para 69 bilhões de reais, a instituição conseguiu reduzir o índice médio de inadimplência no período, de 4,5 para 4,0 por cento.

EM LINHA   Continuação...