7 de Outubro de 2008 / às 22:04 / em 9 anos

Longe de Kassab, Alckmin vai a cidades com tucanos no 2o turno

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 7 de outubro (Reuters) - Geraldo Alckmin (PSDB) não pretende ficar fora da cena política. Ex-governador paulista e candidato derrotado na disputa pela prefeitura paulistana, Alckmin deve percorrer cidades em que tucanos concorrem ao segundo turno das eleições.

Nesta terça-feira ele viaja para sua cidade natal, Pindamonhangaba, no interior paulista, onde fica apenas até quinta-feira. Nesses dias, ele bate o martelo na composição de uma lista de cidades que pretende visitar para subir no palanque de correligionários, de acordo com um assessor próximo.

É provável que já no fim de semana ele aceite convite do presidente do diretório do PSDB estadual, Mendes Thame, para visitar o interior paulista. Devem estar no roteiro São Bernando do Campo, onde Orlando Morando enfrenta Luiz Marinho, protegido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Bauru (com Caio Coube) e Guarulhos (Carlos Roberto).

Fazem parte da lista também Cuiabá, Campina Grande, Contagem, Juiz de Fora, Londrina, Ponta Grossa e São Luis. Há chances de Alckmin ir também a Belo Horizonte para agradecer a participação do governador Aécio Neves em sua campanha e ao mesmo tempo apoiar o candidato Márcio Lacerda (PSB), sustenado pelo tucano.

Beto Richa, que ganhou no primeiro turno em Curitiba, deve merecer os cumprimentos pessoais de Alckmin.

FORA DE SP

O roteito vai servir para manter Alckmin bem afastado do palanque do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), que nesta terça-feira recebeu o apoio do PSDB à sua candidatura.

Os dois protagonizaram um dos mais fortes embates do primeiro turno, quando Alckmin chamou Kassab de “dissimulado” e o acusou de cooptar integrantes do PSDB.

Desde o início da campanha, Kassab recebeu a adesão de tucanos capitaneados pelo governador José Serra, enquanto Alckmin, chamado de teimoso e insistente, teve a seu lado apenas uma ala do partido. O racha contribuiu para a derrota de Alckmin, que teve 1,4 milhão de votos no domingo, ou 22 por cento do total.

Kassab liderou a disputa com 2,1 milhões, ou 33 por cento, e Marta Suplicy (PT) recebeu 2 milhões, ou 32 por cento.

Serra esteve duas vezes pessoalmente com Alckmin durante o processo de eleição, enquanto nesta tarde declarou que subirá no palanque de Kassab, quando for chamado.

Reportagem de Carmen Munari; Edição de Fabio Murakawa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below