ANÁLISE-Após forte queda, Bovespa tende a voltar ao fundamentos

quinta-feira, 7 de agosto de 2008 15:23 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A idéia de que o Ibovespa está excessivamente deprimido começa a se cristalizar entre profissionais do mercado, depois de o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo amargar queda superior a 20 por cento em 60 dias.

Mesmo levando-se em conta nuvens carregadas de incerteza no horizonte de curto e médio prazos, especialistas consideram que o atual patamar das ações distanciou-se demais da realidade das companhias.

"Os investidores estão desconsiderando um pouco os fundamentos das empresas", avalia Ronaldo Boruchovitch, co-presidente da asset do UBS Pactual no Brasil.

Segundo ele, mesmo com o repique da inflação nos últimos meses, que levou a um ciclo de aperto monetário e consequente redução das perspectivas de crescimento econômico, os fundamentos da economia brasileira seguem sólidos, o que permite acreditar num desempenho positivo da Bovespa.

"O Ibovespa está excessivamente 'descontado"', concorda Marcelo Audi, estrategista do Santander.

O profissional lembra, em extenso relatório, que vem recomendando cautela com investimentos na bolsa desde novembro, devido à piora dos cenários doméstico e internacional --a combinação de inflação em alta e crescimento econômico em baixa não é exatamente um indicativo animador para se investir em ações.

"No entanto, à medida que o tempo passa, os fatores de risco que nos dizem respeito tendem a ser superados, ou a ficar perto disso, levando-nos a rever nossa análise", diz trecho do relatório em que já recomenda forte compra de ações brasileiras.

A idéia predominante é que, mais cedo ou mais tarde, essa distorção nos preços provocada por uma corrida por liquidez tende a ser superada.   Continuação...