Dilma pede e PF investiga vazamento de dados sobre cartões

segunda-feira, 7 de abril de 2008 12:18 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal vai investigar o vazamento de dados sigilosos utilizados para a elaboração de um suposto dossiê composto por gastos com cartões corporativos pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a ex-primeira-dama-Ruth Cardoso e ministros da gestão anterior.

A abertura da investigação, nesta segunda-feira, foi feita a pedido do ministro da Justiça, Tarso Genro, a partir de uma solicitação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A polêmica sobre o dossiê foi divulgada há 15 dias pela revista Veja e depois pelo jornal Folha de S.Paulo.

O inquérito ficará a cargo do delegado Sérgio Menezes, da Superintendência da Polícia Federal em Brasília, segundo a assessoria de imprensa do órgão.

O Ministério da Justiça divulgou nesta manhã nota em que informa sobre o pedido de Dilma para averiguação de possível crime de violação de sigilo funcional. O crime está previsto no artigo 325 do Código Penal Brasileiro, informa a nota.

"Na manhã de hoje, o ministro da Justiça comunicou ao diretor-geral da Polícia Federal tal solicitação, analisando que o pedido da ministra-chefe da Casa Civil tem fundamento", disse Tarso na nota.

Na semana passada, Tarso havia declarado que a PF não poderia ser utilizada para instrumentalizar a luta política, identificada por ele no episódio.

A Casa Civil admite responsabilidade na confecção de um banco de dados com os gastos de cartões corporativos do atual governo e do anterior, mas nega ter feito um dossiê com algumas dessas informações e acusa de espionagem o vazamento de dados à imprensa.

(Reportagem de Carmen Munari e Eduardo Simões)

 
<p>Dilma pede e PF investiga vazamento de dados sobre cart&otilde;es. A Pol&iacute;cia Federal vai investigar o vazamento de dados sigilosos utilizados para a elabora&ccedil;&atilde;o de um suposto dossi&ecirc; composto por gastos com cart&otilde;es corporativos pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a ex-primeira-dama-Ruth Cardoso e ministros da gest&atilde;o anterior. 4 de abril. Photo by Jamil Bittar</p>