Desaceleração nos EUA vai prejudicar produção de computadores

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 15:06 BRST
 

Por Jim Finkle e Philipp Gollner

BOSTON/SAN FRANCISCO (Reuters) - Depois de um anúncio da Cisco Systems, uma das companhias de referência do setor de tecnologia, que estimulou temores quanto à recessão, empresas que concentram suas atividades na produção de computadores e equipamentos eletrônicos são vistas como as mais vulneráveis a uma desaceleração.

Os analistas dizem que os produtores de software de negócios estão mais bem posicionados para sobreviver a uma recessão nos Estados Unidos, já que eles ajudam as empresas a trabalhar com mais eficiência, mas as perspectivas são menos luminosas para fabricantes de hardware de computação como Dell e Hewlett-Packard, bem como para os fabricantes de microchips Intel e Advanced Micro Devices .

"Se surgir uma desaceleração, nem todos os setores serão atingidos igualmente", disse o analista Stephen Minton, do grupo de pesquisa de mercado IDC. "A primeira rodada de cortes de investimento afetaria os computadores pessoais, e os aparelhos eletrônicos e o software que operam diretamente com os computadores pessoais."

Os executivos de tecnologia nas empresas "querem proteger seus projetos de centros de dados", ele acrescentou.

John Chambers, presidente-executivo da Cisco, declarou na quarta-feira que as empresas estão cada vez mais preocupadas com a situação da economia. "Há anos eu não via os presidente-executivos das empresas norte-americanas e européias tão cautelosos", ele disse, depois de divulgar projeções de receita decepcionantes.

Rebecca Wettemann, analista da Nucleus Research, que ajuda executivos a compreender como os investimentos em tecnologia podem maximizar ou prejudicar seus lucros, disse que empresas ansiosas por controlar os seus gastos estão dispostas a usar o hardware instalado, como os roteadores Cisco, até que ele quebre.

"Eles dizem que se não puderem encontrar relações direta entre a infra-estrutura e o valor que ela produz, hesitam em investir nesse tipo de equipamento", disse Wettemann.