Ministério Público Federal acusa Dantas de tentativa de suborno

terça-feira, 8 de julho de 2008 14:16 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O banqueiro Daniel Dantas, preso nesta terça-feira pela Polícia Federal, tentou subornar um delegado da PF para evitar as investigações que levaram à sua prisão, acusou o Ministério Público Federal.

De acordo com nota distribuída pelo MPF, Dantas teria oferecido, por meio de dois intermediários, 1 milhão de dólares a um delegado da PF para que seu nome, o de Verônica Dantas, irmã do banqueiro, e de Carlos Rodemburg, sócio e vice-presidente do Banco Opportunity, fossem retirados das investigações.

De acordo com os promotores, o fato foi informado ao juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6a Vara Federal Criminal de São Paulo, que autorizou que os contatos entre o delegado e os intermediários continuassem sem que fosse dado o flagrante de corrupção. O objetivo seria a obtenção de mais provas.

O delegado da PF teria chegado a receber 129 mil reais dos intermediários do banqueiro.

A PF e o MPF informaram que irão apurar o vazamento de informações sigilosas, que teriam levado Dantas a tentar o suborno do delegado.

A operação Satiagraha, que resultou na prisão de Dantas, contou com a participação de 300 policiais federais nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Salvador.

O investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta também foram presos na operação.

O Ministério Público informou que também pediu a prisão do ex-deputado federal pelo PT paulista Luiz Eduardo Greenhalg, por suposta participação na "organização criminosa de Dantas". O pedido, no entanto, foi negado pelo juiz.

(Texto de Eduardo Simões; Edição de Renato Andrade)