Preços no atacado da Grã-Bretanha sobem 3,2% em setembro

segunda-feira, 8 de outubro de 2007 08:28 BRT
 

Por Fiona Shaikh

LONDRES, 8 de outubro (Reuters) - Os custos das matérias-primas utilizadas pelo setor manufatureiro britânico subiram mais que o esperado em setembro, sinalizando que as pressões inflacionárias continuam sendo um perigo.

Ao mesmo tempo, o aumento maior que o esperado na produção das indústrias em agosto confirmou o que pesquisas já tinham mostrado: as empresas britânicas continuam desfrutando de forte demanda apesar da valorização da moeda local.

De acordo com a agência nacional de estatísticas, os preços no atacado subiram 3,2 por cento em setembro, bem acima das estimativas dos analistas e no maior ritmo desde janeiro de 2005. O avanço fez com que a taxa anual dos preços no atacado atingisse 6,4 por cento, um avanço de 0,7 ponto percentual em relação ao apurado em agosto.

"De maneira geral, esses dados ficaram acima do esperado e não existe nada aqui que indique que o Banco da Inglaterra vai cortar o juro em novembro", afirmou George Buckley, economista-chefe para Grã-Bretanha do Deutsche Bank.

Em outro relatório, a agência de estatísticas mostrou que a produção manufatureira avançou 0,4 por cento em agosto. O avanço ficou ligeiramente acima da alta de 0,3 por cento estimada por analistas.