JURO-Alta do dólar pressiona DIs e ofusca deflação do IGP-DI

segunda-feira, 8 de setembro de 2008 16:20 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 8 de setembro (Reuters) - A subida do dólar para mais de 1,73 real pressionou os juros futuros nesta segunda-feira, colocando a maioria das projeções em leve alta mesmo com a deflação do IGP-DI em agosto.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010 subiu de 14,74 para 14,78 por cento ao ano, e o DI janeiro de 2012, o segundo mais negociado, foi de 14,11 para 14,16 por cento.

Segundo Gerson de Nobrega, gerente da tesouraria do Banco Alfa de Investimento, o mercado acompanhou a volatilidade do dólar após o anúncio, no domingo, do socorro governamental às duas principais agências de hipotecas dos Estados Unidos --Fannie Mae FNM.N e Freddie Mac FRE.N

A moeda norte-americana chegou a cair no Brasil, mas depois se valorizou cerca de 1 por cento, acompanhando a tendência global. Em relação ao euro, o dólar alcançou o maior nível em quase um ano, e frente à libra a divisa atingiu o patamar mais alto em mais de dois anos.

A cautela com o dólar ofuscou o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de agosto, que teve deflação de 0,38 por cento.

Segundo Nobrega, o resultado do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) na primeira prévia do mês, com aceleração para 0,20 por cento, também foi bem recebido pelo mercado por ter ficado de acordo com as expectativas.

Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve anunciar mais um aumento da taxa básica de juros. A expectativa do mercado é de mais uma alta de 0,75 ponto percentual, para 13,75 por cento ao ano.

No começo da sessão, o Banco Central recolheu 32,916 bilhões de reais dos bancos para controlar a liquidez do sistema financeiro. A operação teve prazo de um dia, com remuneração de 12,92 por cento ao ano.

(Edição de Daniela Machado)