ATUALIZA-FMI recomenda ao Brasil reduzir a demanda doméstica

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 13:23 BRT
 

(Texto reescrito e atualizado com mais informações)

WASHINGTON, 8 de agosto (Reuters) - O crescimento do Brasil no ano vai desacelerar um pouco frente ao ritmo forte dos últimos trimestres, previu nesta sexta-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI). O organismo pediu que o país reduza a expansão da demanda doméstica como forma de controlar a inflação.

Em um relatório após avaliação anual do Brasil, o FMI previu que o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá cerca de 5 por cento este ano.

"O Brasil deveria conter o crescimento da demanda doméstica, à medida que as pressões inflacionárias se acumulam além dos efeitos do choque global de commodities, e a conta corrente caminhou rapidamente de superávit para déficit", apontaram os diretores executivos no relatório.

O FMI acrescentou que a vulnerabilidade do Brasil ao cenário global deteriorado diminuiu.

Os diretores saudaram o aperto monetário iniciado em abril, mas acrescentaram que o país também deveria promover um aperto fiscal e mirar um superávit primário maior em 2008.

O Fundo afirmou ainda que o Brasil precisa desenhar cuidadosamente o fundo soberando para evitar o uso de recursos públicos que pressionem direta ou indiretamente a demanda doméstica.

"Um grupo de diretores considerou que o superávit disponível seria utilizado de forma mais apropriada para reduzir o nível ainda alto de endividamento do país."

(Por David Lawder)