ATUALIZA2-MST ameaça interditar ferrovia da VALE em Carajás

segunda-feira, 8 de outubro de 2007 17:27 BRT
 

(Texto atualizado com decisão judicial a favor da Vale)

RIO DE JANEIRO, 8 de outubro (Reuters) - Um grupo de manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) está acampado desde domingo perto da ferrovia de Carajás da Companhia Vale do Rio Doce (VALE5.SA: Cotações), que liga a mina da empresa à região portuária de São Luís do Maranhão.

Segundo a Vale, o grupo chegou a invadir a estrada de ferro no domingo, em trecho próximo do distrito Vila dos Palmares II (Parauapebas-PA), mas não conseguiu impedir a operação na ferrovia.

A mineradora recorreu à Justiça nesta segunda-feira e obteve liminar de "interdito proibitório", que determina que os membros do MST "se abstenham da prática de atos atentatórios" contra a ferrovia, responsável por escoar a enorme produção de minério de ferro da Vale em Carajás para o mercado externo, via porto de São Luís.

Segundo a Vale, a liminar garante reforço policial para a empresa evitar que o fluxo dos trens seja prejudicado pelos manifestantes.

Segundo a assessoria, os manifestantes continuam acampados perto da ferrovia. Não existe informação sobre o número de pessoas envolvidas.

O MST informou que a tentativa de ocupação da ferrovia "faz parte de uma série de ações do movimento nacional para anular a privatização da empresa".

O MST divulgou nesta segunda-feira o resultado do plebiscito sobre a reestatização da Vale, com um total de 3,6 milhões de votos favoráveis.