Ministros europeus mostram diferenças sobre euro forte

segunda-feira, 8 de outubro de 2007 18:00 BRT
 

Por Huw Jones e Paul Carrel

LUXEMBURGO, 8 de outubro (Reuters) - O ministro de Finanças da Alemanha apareceu nesta segunda-feira para acabar com as perspectivas de uma resposta uníssona das nações da zona do euro sobre a valorização da moeda, declarando "eu amo um euro forte".

Peer Steinbrueck mostrou claramente sua acentuada diferença com a França --e com outros que exigem um euro mais fraco-- quando chegou a um encontro de ministros de Finanças da região que procuram estabelecer um tom único para discutir com as potências industriais do G7 no dia 19.

"Eu prefiro um euro forte", disse ele a jornalistas. Rindo, o ministro acrescentou: "Eu amo dinheiro e um euro forte".

Holanda e Áustria seguiram linhas similares. O ministro de Finanças holandês, Wouter Bos, afirmou: "A idéia geral da união monetária era fazer um euro forte".

Isto mudou pouco as esperanças do presidente francês, Nicolas Sarkozy, de unir a população em torno de sua demanda por uma ação internacional para abrandar a cotação do euro frente ao dólar, ao iene e ao iuan --de modo a facilitar a vida de exportadores europeus que competem com empresas norte-americanas e asiáticas.

A reunião em Luxemburgo foi anunciada como um teste sobre a união em torno da visão de que o valor do euro frente às outras moedas está saindo de controle e quão determinados estão os países da Europa a pressionar o G7.

As três maiores economias da zona do euro, Alemanha, França e Itália, fazem parte do G7, que fará um encontro este mês em Washington.

O euro, que recentemente atingiu recorde de alta frente ao dólar, subiu mais de 20 por cento diante da moeda norte-americana desde seu lançamento em janeiro de 1999 e 25 por cento frente ao iene.