ANÁLISE-Setor automotivo global aposta pesado no Brasil

terça-feira, 9 de setembro de 2008 11:07 BRT
 

Por Todd Benson

SÃO PAULO (Reuters) - Apenas alguns anos atrás, a maior parte da indústria automotiva do Brasil sofria prejuízos e promovia demissões, tentando se reestruturar para um enorme mercado que parecia nunca pronto para decolar.

Recentemente, as empresas adicionaram turnos de produção e estão gastando bilhões de dólares para aumentar capacidade e atender à demanda do país, que sustenta o maior ciclo de crescimento econômico em décadas.

Após três anos de intensa expansão, o mercado brasileiro de automóveis mostra alguns sinais de enfraquecimento, à medida que o aumento dos juros começa a afetar a demanda dos consumidores. Mas analistas e integrantes do setor dizem que a desaceleração não deve evoluir para uma crise porque ainda há muita demanda reprimida. Isso torna o Brasil um mercado crucial para o setor automotivo global.

"O Brasil é, definitivamente, uma peça importante do xadrez global da indústria automotiva", disse Guido Vildozo, analista do setor para a Global Insight, consultoria baseada nos Estados Unidos. "E isso está refletido de forma clara no montante de investimentos que o Brasil está recebendo."

Com as vendas em apuros em mercados tradicionais como Estados Unidos, Europa e Japão, e mesmo com China e Índia ficando abaixo das expectativas, as empresas do setor estão despejando dinheiro no Brasil.

A indústria automotiva deve atrair 23 bilhões de dólares em investimentos nos próximos quatro anos, elevando a capacidade total em 2,5 milhões de veículos, para 6 milhões de unidades por ano, de acordo com a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

As empresas norte-americanas e européias, que dominam há muito tempo o mercado brasileiro, estão liderando os desembolsos. A General Motors, por exemplo, espera investir cerca de 3 bilhões de dólares nos próximos cinco anos. Para a companhia, o país se tornou o terceiro mercado mais importante, além de uma base importante de engenharia.

A Ford, que não muito tempo atrás considerou sair do Brasil, planeja investir mais de 1,6 bilhão de dólares nos próximos quatro anos em desenvolvimento de produtos e no aumento da capacidade de sua fábrica de motores. Já a Volkswagen vai investir cerca de 1,86 bilhão de dólares até 2011 no país, onde vende mais carros do que na Alemanha.   Continuação...