Cana ultrapassa hidrelétricas na matriz energética

quinta-feira, 8 de maio de 2008 14:17 BRT
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Dados preliminares do Balanço Energético Nacional (BEN-2007), divulgados nesta quinta-feira, indicam que a cana-de-açúcar ultrapassou no ano passado, pela primeira vez, a energia hidráulica como fonte de energia no país, ficando atrás apenas do petróleo e derivados.

O cálculo contabiliza energia em geral, incluindo o setor de combustíveis, não somente a geração elétrica.

Segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, a cana atingiu um peso de 16 por cento da matriz energética brasileira no ano passado, deixando em terceiro a energia hidráulica, com 14,7 por cento.

O petróleo (com derivados) teve em 2007 um peso de 36,7 por cento na matriz energética brasileira, caindo em relação a 2006, quando registrou participação de 37,8 por cento, mas mantendo a liderança.

"É um ano histórico nesse sentido, e uma tendência irreversível", afirmou Tolmasquim ao comentar a nova composição da matriz energética. "A cana passará a ter papel maior do que a hidráulica na geração de energia elétrica, mesmo com megaprojetos como Madeira e Belo Monte", completou, referindo-se aos principais complexos hidrelétricos em planejamento.

Ele destacou que o crescimento da importância da cana se deveu ao aumento da demanda por etanol, já a produção elétrica por meio da queima do bagaço ainda não é representativa.

"Temos três fontes que serão a base da matriz, o petróleo, a cana e a hidráulica, e nas três somos auto-suficientes", disse.

Segundo dados da EPE, o consumo de álcool hidratado (tipo utilizado pelos veículos bicombustíveis) subiu 46,1 por cento em 2007, para 10,4 bilhões de litros, e o de álcool anidro (que é misturado à gasolina) subiu 19,7 por cento, para 6,2 bilhões de litros.   Continuação...