Puxada por ações de commodities, Bovespa volta a subir

quinta-feira, 8 de maio de 2008 18:10 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Em sessão volátil e com volume financeiro mais encolhido, a Bolsa de Valores de São Paulo retomou o ciclo recente de valorização, apoiada nas ações de empresas ligadas a commodities.

Com um rally nos últimos minutos, o Ibovespa subiu 1,02 por cento, marcando 69.722 pontos. O giro financeiro somou 5,28 bilhões de reais.

Após uma parada para realizar lucros na quarta-feira, os investidores voltaram à ponta compradora, retomando o ciclo de ganhos iniciado na semana passada com a obtenção do grau de investimento pelos títulos soberanos do Brasil.

Durante parte do pregão, a combinação de Wall Street em queda com a repercussão negativa do mercado a supostos sinais de maior tolerância do governo com a inflação doméstica, pôs a recuperação em risco.

Mais tarde, o ministro da Fazenda Guido Mantega desfez o mal entendido, sublinhando o compromisso com o controle de preços. Ao mesmo tempo, as bolsas norte-americanas retomaram o movimento de ganhos. O índice industrial Dow Jones subiu 0,41 por cento, também alavancado por ganhos de mineradoras e de empresas de tecnologia.

"O ambiente, de maneira geral, segue positivo", disse o diretor de renda variável da corretora Finabank, Edison Roberto Marcellino.

Com isso, a força compradora na bolsa paulista voltou a predominar, com ênfase nas ações de siderúrgicas, de papel e celulose e do agronegócio.

Em destaque, as ações ordinárias da Companhia Siderúrgica Nacional subiram 3,7 por cento, a 78,40 reais; seguidas pelas preferenciais da Gerdau, com avanço de 3,2 por cento, a 71,75 reais. Pelo mesmo caminho foram as preferenciais da Vale, subindo 1,56 por cento, cotadas a 54,80 reais.

O pregão ainda foi marcado pela confirmação de fusão entre a Bovespa Holding com a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), que deu origem à BM&F Bovespa, a terceira maior bolsa do mundo por valor de mercado.

As ações ordinárias da Bovespa subiram 2,64 por cento, a 27,25 reais; enquanto as da BM&F avançaram 2,6 por cento, a 17,70 reais.