Inflação em SP acelera mais que o esperado no início do mês

quarta-feira, 10 de setembro de 2008 07:07 BRT
 

 SÃO PAULO (Reuters) - Pressões como cigarros e energia
elétrica contrabalançaram uma maior queda dos alimentos,
fazendo a inflação ao consumidor em São Paulo acelerar mais que
o esperado no início de setembro.
 O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,47 por cento
na primeira quadrissemana do mês, ante alta de 0,38 por cento
no mês de agosto, informou nesta quarta-feira a Fundação
Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).
 Economistas consultados pela Reuters previam uma taxa de
0,40 por cento, segundo a mediana de 10 prognósticos, que
oscilaram de 0,36 a 0,42 por cento.
 Os preços do grupo Alimentação caíram 0,55 por cento na
primeira quadrissemana, ante baixa de 0,49 por cento no mês
passado.
 A queda reflete principalmente os menores custos de carnes
e de produtos in natura, que vinham em alta nos últimos meses
devido a problemas de oferta. Há também um alívio vindo da
desaceleração das commodities agrícolas nos mercados
internacionais.
 Já os preços de Habitação --que inclui a tarifa de energia
elétrica-- subiram mais, em 1,18 por cento contra 1,03 por
cento na leitura anterior.
 Os custos de Despesas Pessoais --que englobam o aumento
recente dos cigarros-- também aceleraram a alta, para 1 por
cento na primeira leitura deste mês, ante 0,75 por cento em
agosto.
 Os preços de Vestuário desaceleraram o ritmo da queda e
também contribuíram para o aumento da inflação, passando de
recuo de 0,38 por cento em agosto para baixa de 0,10 por cento
agora.
 O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo
de famílias com renda até 20 salários mínimos.
 (Reportagem de Vanessa Stelzer; Edição de Eduardo Simões)