Lula quer Sarkozy em reunião de líderes para destravar Doha

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 15:54 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 8 de fevereiro (Reuters) - A intenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de promover uma reunião de líderes para fazer avançar a Rodada de Doha de livre comércio deve levá-lo a convidar o presidente francês, Nicolas Sarkozy, no encontro que terão na terça-feira, na Guiana Francesa.

Em conversas telefônicas com o premiê britânico, Gordon Brown, e com o presidente do Estados Unidos, George W. Bush, Lula defendeu a idéia da reunião de líderes para destravar questões técnicas, o que envolve a França, um dos países mais protecionistas em agricultura da Europa.

"O presidente Lula acredita que todos os líderes políticos dos principais países atores no processo devem se reunir para que seja possível avançar além das negociações técnicas. Isso inclui, também, o presidente Sarkozy", disse o porta-voz do Planalto, Marcelo Baumbach, em briefing sobre a viagem de Lula.

O impasse na Rodada de Doha se dá porque os países em desenvolvimento querem que os mais ricos reduzam seus subsídios e tarifas agrícolas, enquanto as nações desenvolvidas pedem maior abertura para seus produtos manufaturados.

"A Rodada de Doha poderá ser objeto da conversa entre Sarkozy e o presidente Lula, como já foi em outras oportunidades. E o presidente Lula pretende reiterar o seu chamado a progressos, sobretudo no campo agrícola", disse o porta-voz.

Além de Doha, Lula e Sarkozy devem tratar da questão dos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), de cooperação nuclear e de biocombustíveis. Os dois presidentes irão descerrar a maquete da ponte rodoviária sobre o rio Oiapoque, ligando a Guiana Francesa ao Amapá, que tem custo estimado de 38,6 milhões de reais a ser dividido em partes iguais.

(Texto de Mair Pena Neto; Edição de Roberto Samora)

(mairpena.neto@reuters.com; 552122237137; Reuters Messaging: mairpena.neto.reuters.com@reuters.net))