Nokia deve vender 35 milhões de telefones GPS em 2008

quinta-feira, 8 de maio de 2008 15:54 BRT
 

HELSINQUE (Reuters) - A Nokia Oyj, maior fabricante mundial de celulares, espera vender 35 milhões de telefones equipados com sistema de posicionamento global (GPS), afirmou o presidente-executivo da empresa nesta quinta-feira.

"Esperamos vender cerca de 35 milhões de aparelhos com GPS em 2008, o que é igual a todo o mercado de aparelhos GPS em 2007", disse Olli-Pekka Kallasvuo na reunião anual dos acionistas.

A compra da empresa norte-americana de navegação Navteq pela Nokia por 8,1 bilhões de dólares, que ainda precisa ser aprovada pela União Européia, foi um bom negócio, segundo Kallasvuo.

"Quando olhamos para a compra com os olhos que temos agora, quando consideramos a navegação de pedestres, serviços de mapas, mapas digitais, estamos ainda mais animados sobre as oportunidades do que quando tomamos a decisão", acrescentou.

A maior parte dos telefones vendidos este ano vão para consumidores que já possuem um telefone, e segundo o presidente-executivo da empresa: "Globalmente, esperamos que as vendas substitutivas representem mais de 70 por cento do volume da indústria em 2008".

A fabricante finlandesa afirmou recentemente que está preparada para apresentar muitos novos modelos para as operadoras dos Estados Unidos nos próximos meses para aumentar sua fatia de mercado no país.

O executivo disse ter expectativa de bons momentos para a Nokia nos Estados Unidos onde, de acordo com uma pesquisa da Strategy Analytics, sua fatia de mercado caiu de 20 para 7 por cento nos últimos dois anos.

Em comparação, a fatia de mercado mundial da Nokia era de 39 por cento no primeiro trimestre.

"Eu peço um pouco mais de paciência para os acionistas", afirmou. "Há muito mais coisas positivas a serem vistas a frente (nos Estados Unidos)".

Como parte da estratégia da Nokia de se voltar mais para o mercado de serviços de Internet, Kallasvuo explicou que no momento de seguir seu caminho a Nokia visará agir menos como uma empresa tradicional de hardware e mais como uma empresa de Internet.

(Reportagem de Sami Torma)