Dólar avança pelo 5o dia e volta a valer mais de R$1,60

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 16:26 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - A valorização global do dólar e a queda do preço das matérias-primas devolveram a taxa de câmbio nesta sexta-feira para o patamar de 1,60 real, com a quinta alta consecutiva da moeda norte-americana no Brasil.

O dólar subiu 1 por cento nesta sessão, para 1,609 real. A alta acumulada na semana foi de 3,01 por cento.

Fatores externos explicaram a variação do câmbio. Segundo Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio do Banco Paulista, o mercado brasileiro acompanhou "basicamente a valorização (do dólar) em relação às demais moedas".

O dólar atingiu o maior valor em vários meses diante do iene e da libra esterlina . Moedas de países emergentes como peso chileno, peso mexicano e peso colombiano também se desvalorizaram ante o dólar. O euro caiu abaixo de 1,50 dólar pela primeira vez desde fevereiro.

Na pauta do mercado estava a preocupação com a economia global. Na véspera, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, disse por exemplo que vê agora mais riscos ao crescimento econômico da zona do euro.

Com a perspectiva de uma atividade econômica mais fraca nas principais economias do mundo, a cotação das matérias-primas também despencou. O índice Reuters-Jefferies CRB de commodities caía 3,03 por cento às 16h21 (horário de Brasília).

Caso se consolide a tendência de baixa do preço das commodities, a balança comercial do Brasil pode sofrer o impacto do preço menor de exportações agrícolas e de metais.

Para Postigo, no entanto, é preciso esperar a próxima semana para definir se ainda há espaço para a continuidade da alta do dólar e da queda das matérias-primas. "Vamos ver como fica o comportamento das moedas", disse.

O Banco Central fez um leilão de compra de dólares no final da sessão. Segundo um operador, foi aceita uma das propostas divulgadas, com taxa de corte de 1,6113 real.

(Edição de Vanessa Stelzer)