PT oficializa apoio a Eduardo Paes no Rio

quarta-feira, 8 de outubro de 2008 12:54 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 8 de outubro (Reuters) - Sem a presença de Alessandro Molon, seu candidato no primeiro turno, o PT do Rio oficializou o apoio do partido ao candidato do PMDB, Eduardo Paes, no segundo turno das eleições municipais.

Paes já havia conseguido o apoio do PSB e hoje à noite também fecha aliança com o PSC. Segundo pessoas próximas a Paes, emissários do PMDB já iniciaram uma aproximação com Marcelo Crivella (PRB), terceiro colocado no primeiro turno.

"O Crivella primeiro quer conversar com o vice-presidente da República, José Alencar, para depois se posicionar. Mas não teria lógica o partido do presidente apoiar (o Paes) e o do vice, não, porque essa eleição vai ter uma caráter nacional", disse à Reuters fonte ligada ao candidato.

Ao ser questionado sobre o tema, Paes afirmou que busca uma ampla aliança para o segundo turno.

"Estamos buscando o maior número de partidos e vamos incorporar ao nosso programa algumas questões que esses partidos levantaram. Essa é uma candidatura de união de forças", disse Paes a jornalistas.

Em tom de ataque ao adversário Fernando Gabeira (PV), que tem recebido o apoio de segmentos mais à direita, Paes afirmou que não vai esconder dos eleitores os partidos que o apoiarão no segundo turno.

Em discurso na sede do diretório do PT, onde foi receber o apoio do partido, Paes fez elogios ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e destacou a boa relação dele com o Rio de Janeiro e com o governador do Estado, Sérgio Cabral.

"Não posso negar o carinho do presidente Lula com o Rio de Janeiro. Se fizemos o melhor Pan da história foi graças ao presidente Lula que disponibilizou o dinheiro."

Paes contou ter conversado com Lula na terça-feira, mas sinalizou que não cobrará do presidente apoio explícito no segundo turno.

"Conversei com o presidente Lula e ele me disse que iria apoiar os candidatos que os partidos da base aliada apoiassem. Hoje demos, talvez, o passo mais importante para que o presidente possa estar cada vez mais nesta candidatura, mas ninguém vai constrangê-lo", disse Paes, acrescentando que Lula tem um candidato da sua base no Rio.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier, Edição de Mair Pena Neto)