8 de Outubro de 2008 / às 17:13 / 9 anos atrás

CONSOLIDA-Em projeção pessimista, FMI vê forte desaceleração

Por Lesley Wroughton

WASHINGTON, 8 de outubro (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional, na sua previsão mais pessimista em anos, afirmou nesta quarta-feira que a economia mundial está caminhando para uma forte desaceleração, com os Estados Unidos e a Europa próximos à recessão.

O FMI afirmou que a turbulência dos mercados financeiros --a mais violenta desde os anos de 1930 e ainda em evolução-- cobrará um alto preço econômico à medida que os mercados lutam com uma crise de confiança e o crédito global é asfixiado.

A avaliação do FMI foi escrita antes dos cortes de juros coordendados de 0,5 ponto percentual realizados pelo Federal Reserve, Banco Central Europeu, Banco da Inglaterra, Suíça, Canadá e Suécia nesta quarta-feira.

O novo economista-chefe do FMI, Olivier Blanchard, afirmou que a ação conjunta é uma passo na direção certa, porém mais medidas podem ser necessárias à medida que a economia mundial se desacelere.

“Meio ponto percentual não é insignificante”, afirmou Blanchard em entrevista coletiva. “Mais é necessário, em particular na Europa, neste ponto”, afirmou ele.

Em sua Perspectiva Econômica Mundial semestral, o FMI cortou a previsão para o crescimento mundial em 2009 para 3 por cento, que será o menor ritmo em sete anos, frente a uma projeção anterior de 3,9 por cento, e alertou que uma recuperação seria especialmente lenta.

O fundo afirmou que o crescimento deste ano será de 3,9 por cento, pouco abaixo dos 4,1 por cento que projetou em julho.

Blanchard deixou claro que a previsão de crescimento global de 3 por cento não é uma recessão.

“Nossa posição é que não é útil utilizar a palavra recessão quando o mundo está crescendo 3 por cento. Tendo dito isso, 3 por cento é um número muito baixo”, afirmou ele.

Blanchard afirmou, ainda, que há poucas chances de uma depressão global se líderes adotaram políticas coerentes rapidamente para combater a crise nos mercados.

“Se as políticas certas estiverem sendo implementadas, então a probabilidade de uma ‘Grande Depressão’ é extremante pequena.”

O FMI culpou o relaxamento das políticas econômicas e de regulação pela atual tensão global, afirmando que eles provavelmente permitiram que a economia global “excedesse o limite de velocidade”.

Agora a economia global está pagando o preço.

O FMI acreditava que as economias em desenvolvimento poderiam passar praticamente ilesas da difusão da crise surgida dos problemas imobiliários norte-americanos. Mas não mais.

A instituição vê a economia norte-americana caminhando para uma interrupção e alertou que uma recessão é cada vez mais provável.

Para todo o próximo ano, ele projeta um crescimento dos EUA de apenas 0,1 por cento. No curto-prazo, a economia norte-americana, afirmou o FMI, dependerá fortemente da eficâcia das inciativas do governo para combater a crise de crédito.

O Fundo afirmou que o crescimento da zona do euro deve desacelerar para crescer 1,3 por cento em 2008, e apenas 0,2 por cento em 2009.

As potências asiáticas como a China e Índia também irão experimentar uma crescimento menor.

O crescimento da China deve recuar para 9,7 por cento neste ano e 9,3 por cento em 2009 --comparado aos 11,9 por cento em 2007, afirmou o FMI.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below