Brasil é 7a economia mais competitiva da América Latina--Fórum

quarta-feira, 8 de outubro de 2008 15:38 BRT
 

SÃO PAULO, 8 de outubro (Reuters) - O Brasil subiu oito posições no ranking global de competitividade do Fórum Econômico Mundial, mas ainda ficou com uma modesta sétima posição entre os países da América Latina, atrás, por exemplo, de Porto Rico, Barbados, Panamá e Costa Rica.

O Brasil, que obteve a 64a posição no ranking de 134 países liderado pelos Estados Unidos, recebeu do Fórum Econômico Mundial a pontuação 4,1, sendo que o máximo possível é 7.

O Fórum usou vários critérios, como estabilidade macroeconômica, saúde e educação, inovação, eficiência do mercado, entre outros.

As menores pontuações do país ficaram com infra-estrutura (3,2) e Inovação (3,5). Já o critério no qual o país conseguiu a maior nota foi tamanho do mercado (5,5).

O relatório aponta ainda a regulação tributária como fator mais problemático para os negócios no Brasil, ao lado de infra-estrutura inadequada, carga tributária e legislação trabalhista restritiva.

Instabilidade governamental, inflação, fragilidade da saúde pública e falta de ética na força de trabalho nacional aparecem como os menores problemas no ambiente de negócios brasileiro, de acordo com o estudo.

O Fórum aponta ainda as vantagens e desvantagens competitivas de cada país. Para o Brasil, o estudo aponta, por exemplo, a solidez dos bancos e a proteção a acionistas minoritários como vantagem competitiva, e a falta de proteção da propriedade intelectual e o favorecimento nas decisões de autoridades governamentais como desvantagens.

Uma íntegra do relatório pode ser acessada pelo site www.weforum.org/gcr.

(Texto de Eduardo Simões; Edição de Mair Pena Neto)