Governo trata de nomeações nos Estados para acalmar base aliada

terça-feira, 8 de janeiro de 2008 14:26 BRST
 

BRASÍLIA, 8 de janeiro (Reuters) - O governo começa a conversar com cada ministro a partir desta terça-feira para tratar das nomeações para cargos regionais nos Estados, disse o ministro das Relações Institucionais, José Múcio ao deixar reunião com os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência).

O objetivo do governo com a retomada das nomeações é, sobretudo, acalmar os aliados que foram surpreendidos com as medidas que compensaram o fim da CPMF.

"Vimos as demandas e vamos começar a tratar delas a partir de hoje, conversando com cada ministro da área com relação a cada Estado", disse Múcio, explicando que essa discussão estava parada há 40 dias por conta da votação da CPMF.

Múcio negou relação entre as nomeações e a necessidade de acalmar a base e disse que se trata de questão de rotina.

"Não estamos fazendo isso por conta de alguma coisa. São demandas represadas há mais de 10 meses. Há questões consensuais, mas que por questões burocráticas ou impedimento dentro de cada ministério não foram resolvidas", afirmou.

O ministro não soube precisar quantos cargos estão disponíveis, e considerou os ajustes naturais.

"Não são centenas (de cargos), mas dezenas. Temos algumas demandas nos Estados. Houve uma reeleição, temos outra base e (outro) Congresso", alegou.

Sobre a insatisfação da base aliada com o governo, Múcio disse que nunca há satisfação completa.

"Satisfeito nunca se está, isso é da democracia. Há algumas demandas que não foram resolvidas, alguns casos que não foram atendidos, e algumas emendas que por questões burocráticas ou por impedimento das prefeituras não foram pagas."

(Texto de Mair Pena Neto; Edição de Isabel Versiani)