ANÁLISE-Crédito enxuto faz mercado olhar bancos menores com lupa

quinta-feira, 9 de outubro de 2008 14:46 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 9 de outubro (Reuters) - O estreitamento da liquidez provocado pela crise financeira internacional está intensificando a vigilância das instituições do mercado sobre bancos domésticos de pequeno e médio portes, a despeito das medidas anunciadas recentemente pelo Banco Central.

Sem a liquidez imediata proporcionada com a emissão de Certificados de Depósito Bancários (CDBs), que deixaram de ser aceitos por investidores, os pequenos estão sendo levados a saldar dívidas, reduzir a oferta de financiamento e considerar a venda de carteiras para não ter a posição de solvência comprometida.

Especialistas avaliam que a situação segue administrável e o BC tem se mostrado disposto a usar todo seu arsenal, como as novas linhas de redesconto, redução do compulsório sobre determinadas operações e a flexibilização das regras para a compra de carteiras dos pequenos pelos grandes.

Com vários afrouxamentos no volume de recursos que os bancos são obrigados a recolher, o BC já liberou cerca de 60 bilhões de reais para operações de crédito.

Para o diretor-executivo do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), Antônio Carlos Bueno de Camargo Silva, as medidas devem criar um colchão de liquidez adicional também para pequenos bancos, que ficarão menos pressionados a vender parte das carteiras.

Nos últimos 30 dias, o órgão privado, responsável por prestar garantia de crédito de suas sócias, registrou quatro operações de compra de carteiras, totalizando 700 milhões de reais. "Bancos menores que estavam pressionados, agora poderão tocar a vida normalmente", disse à Reuters.

RISCO E PRECAUÇÃO   Continuação...